‘Ninguém quer quebrar contrato, mas podemos ajustá-lo’, diz Bolsonaro sobre preço do gás


O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sinalizou nesta terça-feira (30) em Belo Horizonte que poderá fazer readequar contratos para tentar reduzir o preço dos combustíveis e do gás de cozinha.

Em discurso, o presidente destacou que o preço dos combustíveis tem crescido no mercado internacional, destacou que que o Brasil é autossuficiente na produção de gás e petróleo e que deve buscar formas legais de resolver a escalada dos preços no mercado interno.

“Ninguém quer quebrar contratos, mas ajustá-lo, reajustá-lo, podemos fazer isso. Não podemos, em média, o bujão de gás estar R$ 50 na Petrobras e chegar a R% 130 para vocês. Tem fatores que encarecem que nós temos que buscar solução”, afirmou o presidente. Ele ainda destacou a dificuldade de fazer essas mudanças, dizendo que terá que enfrentar monopólios, oligopólios e lobbies.