RN volta a apresentar aumento nas taxas de transmissão da Covid-19

A Secretaria Estadual de Saúde Pública (Sesap) alertou na segunda-feira 1º que a taxa de transmissibilidade da Covid-19 (Rt) em três regiões potiguares está acima de 1. Os municípios da região do Mato Grande têm taxa de 1,04. No Alto Oeste, a taxa é de 1,13. E o Oeste, com o pior resultado, apresentou Rt de 1,29.

Segundo epidemiologistas, a taxa de transmissão acima de 1 indica descontrole no contágio da Covid-19. No caso da região Oeste, por exemplo, com a taxa de 1,29, isso significa que 100 pessoas contaminadas com o novo coronavírus podem infectar outras 129.

Os dados são do mapa do Laboratório de Inovação Tecnológica em Saúde (Lais) com a plataforma “Coronavírus RN”, sistema que monitora os casos da Covid-19 no Rio Grande do Norte.

Segundo a Sesap, a taxa geral de ocupação de leitos críticos da rede SUS é de 39%. Por região, essa taxa é de 36% no Oeste, 100% no Mato Grande, 33,7% na Região Metropolitana de Natal, 60% no Seridó e 90% Alto Oeste. Os leitos estão desocupados nas regiões Agreste e Potengi-Trairi.

No Estado, os casos confirmados somam 61.989. Há 26.212 casos suspeitos, 116.078 descartados, os óbitos somam 2.263 e há 218 em mortes em investigação (aguardando resultado de exames laboratorial). Outros 495 casos foram descartados.

De acordo com o secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, a taxa de ocupação dos leitos é considerada satisfatória. “Esperamos que continue caindo para isso chamamos a atenção da população. A pandemia não acabou. Estamos vendo situações no cotidiano que não condiz com o momento que vivemos, ainda há necessidade de proteção e distanciamento físico entre as pessoas para evitar aglomerações”, disse.

Dentre as medidas adotadas pela Sesap está a contratação de apoiadores técnicos atuando diretamente nas Regionais de Saúde para apoiar tanto na atenção primária quanto em vigilância em saúde, buscando a integração e a reorganização dos processos de trabalho. “A ação foi pactuada com as secretarias municipais de saúde e deve começar nos primeiros dias de setembro”, afirmou o secretário.