No RN, sete municípios celebram Sant’Ana

O mês de julho traz consigo para a crença cristã dos católicos potiguares a celebração das festividades da Senhora Sant’Ana, considerada, pela tradição,  a mãe de Maria e avó de Jesus Cristo. No Rio Grande do Norte, ela é tida como padroeira oficial em pelo menos sete municípios, de acordo com a Arquidiocese de Natal e a Diocese de Mossoró: Caicó, Campo Grande, Currais Novos, Luís Gomes,  Santana do Matos, Santana do Seridó e São José de Mipibu (junto com São Joaquim).

Nestas cidades, estão previstas a realização de celebrações religiosas e culturais pelas respectivas dioceses em homenagem à santa, comemorado em 26 de julho. Apesar de não tê-la como padroeira, Natal também terá programação especial, visto que as paróquias de Capim Macio e Soledade II comemoram a festa de Sant’Ana, padroeira de ambas.

Conta a lenda popular que um sertanejo em meio a uma severa seca sobre o povoado que viria a ser a cidade de Caicó, procurava água para o rebanho que criava, quando se deparou com um touro bravo. Diante do perigo iminente, o sertanejo fez uma prece à Sant’Ana para que não fosse atacado. A oração foi atendida, e se viu livre do animal. São e salvo, o sertanejo prometeu construir uma capela em homenagem à santa, nas margens do Rio Seridó.

Mas devido à forte estiagem, quase não havia água no único poço que existia próximo do rio. Com a mesma fé, o sertanejo rogou novamente à Sant’Ana para que a fonte de água não secasse por definitivo. A santa teria o atendido novamente, proveu o milagre e permitiu que a capela fosse erguida.