Em discurso, Fátima se emociona ao lembrar que passou fome

A emoção marcou o discurso de posse da única governadora do Brasil, Fátima Bezerra (PT), eleita em 2018 com mais de um milhão de votos para chefiar o Executivo do Rio Grande do Norte. Em solenidade de posse realizada pela Assembleia Legislativa na Escola de Governo na tarde desta terça-feira (1º), Fátima iniciou o discurso com a voz embargada e com lágrimas.

Mudança. Desafio. Trabalho. Inclusão. Esperança. Foram palavras ressaltadas por Fátima Bezerra em sua primeira apresentação como governadora eleita e empossada. Ao lembrar que conhece as dificuldades da vida não da “boca pra fora”, como passar fome, a governadora chorou mais uma vez e reafirmou a gratidão depositada nas urnas pelos potiguares.

Fátima destacou que ser governadora do Rio Grande do Norte é a tarefa mais desafiadora da vida política dela, que já foi professora, deputada estadual, federal e senadora. A paraibana de Nova Palmeira, agradeceu pelo acolhimento do povo e do estado potiguar. A única mulher eleita em 2018 no país para chefiar um governo lembrou da história política das mulheres do estado e também das figuras femininas que marcam a memória do estado.

A governadora ressaltou também que quer fazer do governo um instrumento de transformação social, mas reconhece o cenário econômico difícil que está recebendo. “Sabemos que o legado que estamos recebendo é dramático. Basta falarmos da crise fiscal. Estamos herdando uma dívida da ordem de R$ 2,6 bilhões; três folhas de pagamento do funcionalismo público atrasadas; dívidas com fornecedores que fornecem para áreas essenciais do governo”, afirmou.

Por OP9