PT errou ao subestimar campanha pelo WhatsApp, admite Gleisi Hoffmann

O assassino confesso de Maria Carla Silva, menina de 12 anos desaparecida há um mês em Apodi, tem passagem pela polícia por manter relação com a irmã da vítima, outra jovem, essa de 14 anos, contra a vontade da família das adolescentes. Paulo Batista de Souza, 23, está preso.

De acordo com a fonte, o homem não trabalha. Mesmo assim tem uma motocicleta nova e com manutenção regular. Ele passeava com as duas no veículo. “Vivia para cima e para baixo com elas de moto. Nós ficávamos preocupados. Quando descobríamos, ele já havia deixado as meninas em casa”.

A mulher ouvida pela reportagem suspeita que o homem comercializava drogas na cidade. “Eu nunca vi uma pessoa ter uma moto nova e sempre abastecida sem trabalhar. Ele sempre tinha dinheiro e dava mimos às meninas, pois a família é humilde”, denunciou.

No dia em que desapareceu (18 de setembro), Maria Carla saiu de casa para visitar a irmã mais velha, de 18 anos. A menina teria pedido ao cunhado que a levasse ao local, e não foi mais vista. Ela sequer teria chegado ao destino.

Preso nessa quarta-feira, 17, Paulo de Souza confessou o crime e levou os policiais até o local em que diz ter enterrado a menina, e de onde uma ossada foi retirada. O local fica na zona rural de Apodi.

Por Portal No Ar