“Estou cansado de mentiras”, diz Lula em audiência

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou nesta quarta-feira (19) que tenha se reunido com o lobista do setor automobilístico Mauro Marcondes no Planalto para tratar sobre a Medida Provisória 471, que prorrogou incentivo fiscal às montadoras fabricantes de veículos em 2009.

Esta foi a 1ª vez que o ex-presidente depôs após deixar a prisão, em 8 de novembro de 2019. O petista ficou 580 dias preso, de 7 de abril de 2018 a 8 de novembro de 2019, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, pela condenação do caso tríplex do Guarujá.

Lula prestou depoimento ao juiz Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal do Distrito Federal. No processo, derivado das investigações da operação Zelotes, o ex-presidente é acusado pelo crime de corrupção passiva por supostamente ter beneficiado empresas do setor automobilístico, por meio da Medida Provisória 471, em troca de propina. O petista foi presidente de 2003 a 2010. O suposto esquema teria sido em 2009. Ele nega as acusações.