Chuvas no RN ficam em 34% do esperado para o primeiro trimestre de 2021


Pelo terceiro mês consecutivo, as chuvas no Rio Grande do Norte ficaram abaixo do normal em todas as Mesorregiões do estado, chovendo 34% do esperado para o período. É o que aponta a análise pluviométrica feita pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN).

“Esse expressivo valor no desvio negativo observado nesses três meses, mostra que mesmo num ano com Fenômeno Lã Niña presente no Oceano Pacífico, as condições no Oceano Atlântico Sul, com águas mais frias do que o normal, impediram a atuação da Zona de Convergência Intertropical de atuar sobre a Região Nordeste do Brasil”, analisou o chefe da unidade instrumental de Meteorologia, Gilmar Bristot.

Só no mês de março, choveu 33,2% do volume esperado. Era esperado um volume médio de 159,7 milímetros de precipitações no estado, porém foi observado o acumulado médio de 106,6 mm. Bristot explicou que as poucas chuvas ocorridas neste mês decorrem da atuação da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), principal sistema meteorológico indutor de chuvas no interior do Estado no período de fevereiro a maio.

“Este ano, diferente dos últimos anos, as condições oceânicas, referentes ao comportamento termodinâmico, principalmente no Oceano Atlântico, não apresentaram condições favoráveis a ocorrência de chuvas sobre a região norte do Nordeste, resultando desta forma numa irregular distribuição temporal e espacial das chuvas, isto é, locais com mais chuvas e outros com menos chuvas tanto em intensidade como em eventos de ocorrência”, disse.

A análise destacou ainda que houve variação na distribuição das chuvas pelo estado. Na região do Alto Oeste foram registrados valores médios que superaram os 200mm, enquanto que no restante do Oeste, os índices acumulados variaram entre 50 mm a 150 mm.

“Esse comportamento ocorreu em todas as regiões, na Mesorregião Central, as maiores chuvas ocorreram no Seridó Oriental. No Agreste, a região da Borborema apresentou os maiores índices acumulados e no Litoral Leste, as maiores chuvas concentraram-se na Região Metropolitana de Natal”, completou.

Previsão para os próximos três meses

Para o trimestre que se inicia- abril, maio e junho, as análises apontam irregularidade nas chuvas no interior do RN, variando de normal a abaixo do normal, com maior concentração nas regiões do Alto Oeste, Seridó e Vale do Açu.

As médias previstas para o período são: Oeste 250 mm, Central 200 mm, Agreste 200 mm e Leste 500 mm.