Mais 5 dizem ter sido abusadas por publicitário

Foto: Acusado publicitário Abner Machado Pereira Neto   

Mais cinco pessoas reconheceram o publicitário Abner Machado Pereira Neto, de 34 anos, como o responsável pelos estupros e tentativas de abuso sexual, além de agressão da qual foram vítimas. De acordo com informações da delegada Joana D'arc, da Delegacia de Repressão a Crimes Contra a Infância e Adolescência, após a divulgação de imagens do acusado, duas vítimas relataram terem sido abusadas e outras três sofreram tentativas de estupro. Abner já possui mandado de prisão em aberto na cidade de Natal, onde foi  acusado de falsificação de documentos públicos.

“Sabemos que há outras vítimas apesar de Abner ter confessado que abusou de apenas duas”, contou ela. Na residência onde o acusado cometeu um dos crimes, localizada na Rua Elias Cavalcanti, no bairro do Cristo, homens do Instituto de Polícia Científica (IPC) realizaram perícias e apreenderam um vasto material com CD's, DVD's e fotos dos estupros.

Segundo o Tenente Coronel Sousa Neto, o local foi alugado pela esposa do acusado, há aproximadamente um mês porque eles estavam se divorciando. “No local havia bebida, comprimidos antidepressivos, que ele utilizou para dopar uma vítima e roupas”, contou. Vizinhos relataram que o acusado era um homem tranquilo e quando o viram no local com a criança, de apenas 11 anos, não desconfiaram do que estava para acontecer. “Os vizinhos acharam que a menina era filha dele, e como ela foi dopada e por isso não esboçou reação, eles nada perceberam”, explicou a delegada.

O vídeo desse abuso sexual, que durou 12 horas, foi registrado pelo notebook do acusado e chocou as autoridades. Abner continua detido na carceragem da Central de Polícia e deve, a qualquer momento, ser transferido para o Presídio do Róger. A delegada confirmou que foi recolhido material genético de Abner que será comparado ao sêmen encontrado no corpo da estudante Rebeca Cristina, de 15 anos, que foi abusada sexualmente e encontrada morta na Praia de Jacarapé no último dia 11.

Abner foi preso na tarde da quinta-feira, dia 28, e em depoimento assumiu a autoria dos crimes. Ele deve responder por estupro de vulnerável, cuja pena varia entre oito e 15 anos de detenção.

O publicitário Abner Machado Pereira Neto foi preso na manhã da última quinta acusado de violentar sexualmente duas crianças em João Pessoa. Os crimes ocorreram novembro de 2010 e no último dia 22. O acusado foi preso enquanto voltava para sua casa, localizada no bairro do Valentina Figueiredo, onde vivia com sua esposa e filhas gêmeas, de 2 anos de idade.