Associação Militar oferece R$ 1 mil por infomação de suspeito de matar PM

Associação de Cabos e Soldados da Polícia Militar (ACSPM/RN) está oferecendo uma recompensa de R$ 1 mil por informações que levem à prisão dos jovens "Biro-Biro" e "Rodrigo", suspeitos de terem assassinado a tiros o soldado PM Antônio Carlos da Rocha Ramalho no bairro de Jardim Lola, em São Gonçalo do Amarante, na noite do último sábado. O soldado foi o 15º PM morto em 2011.

Segundo a polícia, a dupla teria abordado o policial e anunciado um assalto enquanto ele se encontrava com uma moça após o seu expediente. Conforme a polícia, os dois jovens teriam envolvimento com o tráfico de drogas na região do crime.

O cabo Jeoás Nascimento, presidente da ACSPM/RN, explica que a recompensa oferecida não é pela captura dos suspeitos, mas sim por informações que ajudem a polícia a encontrá-los e desvendar o crime. "Não queremos incentivar uma busca da população por eles, mas apenas estimular as pessoas a repassarem informações para que possamos prendê-lo". Caso alguém tenha tais dados para repassar à associação, os telefones de contato são 3206-1896 e 8846-4080.


 

Jeoás Nascimento ressalta ainda o fato de que vários policiais morreram em serviço ou em decorrência do serviço somente este ano. Entre as 15 mortes de PMs registradas em 2011, o cabo afirma que dois deles foram por acidente de trânsito com a viatura da corporação.

Dois desses também eram militares da reserva, trabalhando como guardas patrimoniais. Outros dois eram policiais licenciados de suas funções. "Ao todo, foram 10 policiais mortos em serviço". O presidente da ACSPM/RN diz que são essas ocorrências que tem motivado o movimento "segurança com segurança" - chamada de "greve branca" -, no qual os policiais não têm saído dos quartéis caso não encontrem condições de trabalho.

Repercussão
A reportagem do Diário de Natal entrou em contato com o secretário de Segurança Pública, Aldair da Rocha, e com o comandante geral da Polícia Militar, coronel Francisco Araújo. Ambos preferiram não comentar o fato de se oferecer uma recompensa por informações sobre os possíveis assasinos, por se tratar de uma iniciativa da associação e não da Polícia Militar em si. "Quem deve se pronunciar sobre isso é o Cabo Jeoás, que é o presidente da associação", disse o coronel Araújo.

Crime:

Segundo informações do cabo Jeoás, o soldado Ramalho tinha acabado de sair de serviço na noite do último sábado, por volta das 21h, quando foi se encontrar com uma jovem que conhecera à tarde. "Eles tinham combinado de ir a uma festa em Ceará-Mirim. O soldado estava conversando com a garota na frente da casa dela. Os dois suspeitos estavam na calçada em frente e, quando viram Ramalho, o abordaram e anunciaram um assalto. Ele disse que eles podiam levar o que quisessem. Quando ele se virou, porém, eles atiraram". Logo após o crime, os dois suspeitos fugiram do local, sem deixar pistas.

O cabo PM diz que não ficou clara a motivação do crime, que está sendo investigada pela delegacia de São Gonçalo do Amarante. "Há informações de que eles atiraram por terem notadoque o soldado estava usando a calça e o coturno da corporação. Outros dizem que o tal Biro-Biro seria ex-namorado da garota com quem Ramalho foi se encontrar e fez isso por ciúmes. Mas nada está confirmado ainda". A polícia conseguiu fotos apenas do "Biro-Biro" e espera por pistas que levem a encontrá-los. O corpo do policial foi sepultado no cemitério municipal de Ceará-Mirim na tarde do último domingo.

Fonte: Força Tática