Acusados de invadirem fazenda e manterem família sob cárcere são condenados


A 1ª Vara de São Gonçalo do Amarante condenou três homens pelo roubo de armas e bens de uma fazenda em que uma família foi vítima no início de 2020. No processo, as vítimas relataram que os assaltantes foram bastante violentos, ameaçando-as de morte constantemente. Disseram também que eles reviraram toda a residência e as mantiveram em cárcere por cerca de 2 horas, entre estas, uma criança de apenas três anos de idade.

A Justiça estadual condenou os réus a penas que vão de 11 anos e oito meses a 14 anos e 26 dias de reclusão em regime inicialmente fechado e mais a 128 e 154 dias-multa. A pena privativa de liberdade deverá ser cumprida no estabelecimento prisional adequado mais próximo. Também foi negado aos condenados o direito de recorrer em liberdade, pois persistem as razões para a segregação cautelar.

A denúncia afirmou que no dia 27 de fevereiro de 2020, por volta das 5 horas, no imóvel rural, localizado em São Gonçalo do Amarante, agindo junto a um quarto indivíduo não identificado, utilizando armas de fogo, subtraíram uma espingarda calibre .12, duas espingardas calibre .28, uma TV 32 polegadas Samsung, dois aparelhos celulares, dois botijões de gás, duas panelas de pressão, um faqueiro e um ventilador.

Para a Justiça, as provas produzidas no processo apontam que os crimes de roubo ocorreram e que os acusados são os autores, conforme oitivas da vítima e das testemunhas e os interrogatórios dos acusados. Assim, a conclusão foi de que são verdadeiras as acusações feitas pelo Ministério Público.