A coleção de fiascos do São Paulo no período de sua maior seca de títulos

Todo grande clube em seca de títulos tem uma coleção de vexames. Basta olhar para trás.

O Corinthians perdeu para o Botafogo-SP e para o Guarani, em casa, na campanha do décimo-primeiro lugar de 1976. Ou o Botafogo de 1977, já há nove anos sem vencer, perdendo para o Bonsucesso. Ou o Palmeiras precisando só ganhar da Ferroviária e chutando bola na trave, de Aguirregaray, no último minuto do jogo que classificaria para a final contra o Bragantino, se vencesse, em 1990.

O São Paulo vive esta fase, há quinze anos sem vencer o Paulista, doze sem o Brasileiro, oito sem ganhar nada. O defeito do momento é criar e não definir. Contra o Mirassol, finalizou 21 vezes, sete no alvo e fez dois gols. Levou três de um time que chutou quatro vezes.

Não pode!

Não pode perder para o Mirassol, depois de o time do interior ver partirem 18 jogadores, oito titulares, durante a pandemia.

Não pode!

2020 – Campeonato Paulista – Mirassol no Morumbi, derrota por 3 a 2. Parece castigo ser eliminado em casa no Campeonato Paulista, que hoje representa muito, mas que era só o Paulistinha, quando o São Paulo começou a fila, em 2006. Hoje é vexame, porque o Mirassol perdeu 18 jogadores. E porque faz falta o título estadual.