18 de maio: MPRN divulga campanha sobre o enfrentamento ao abuso sexual de crianças e adolescentes

O Ministério Público do Rio Grande do Norte (MPRN) lançou na sexta-feira (15) em suas redes sociais uma campanha sobre o “18 de maio” –  Dia Nacional de Enfrentamento ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes. A temática é uma constante na atuação da instituição, seja por meio das Promotorias de Justiça ou do Centro de Apoio Operacional às Promotorias de Justiça da Infância e Juventude (Caopij).

O Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes foi instituído no dia 18 de maio do ano 2000, por meio da Lei 9.970/2000. A escolha da data teve uma decisão simbólica. Neste mesmo dia, no ano de 1973, em Vitória/ES, era ceifada brutalmente a vida da criança Araceli Cabrera Sánchez Crespo, então com 8 anos, vítima de um crime bárbaro de natureza sexual praticado por jovens da classe média alta de sua cidade, até hoje impunes.

“Infelizmente, muitas crianças vivem uma dura realidade que nos escapa aos olhos; o fato de ela ser invisível não a torna só por isso menos real. Esses pequenos já bem conhecem no seu dia a dia o que é a desumanização, a violência, o terror, o vexame e o constrangimento. Pais e mães amorosos sentem o peito apertar só de pensar em associar tais palavras à vida de seus filhos. O abuso não deveria fazer parte do universo infantil”, lamenta o promotor de Justiça Sasha Alves do Amaral, que atua na 12ª Promotoria de Justiça de Mossoró na defesa dos direitos das crianças e adolescentes, e que é um dos membros participantes da campanha do MPRN deste ano.

A campanha do MPRN pretende chamar atenção da sociedade em diferentes vertentes, potencializadas em tempos de pandemia pelo novo coronavírus (Covid-19), período em que pelo necessário isolamento social, muitas crianças ficam ainda mais à mercê da violência sexual por estarem mais tempo próximas a seus abusadores.

Redes sociais – Serão divulgados cinco vídeos que abordarão a saúde mental das crianças em tempos de Covid-19; a importância do olhar protetivo atento e de romper o pacto do silêncio; a rede de proteção; além de crimes cibernéticos e o papel da internet no desenvolvimento das crianças e adolescentes. Acompanhe nossas contas nas principais redes sociais e compartilhe nossos materiais nas suas. Estamos no Instagram, no Facebook, e no Twitter com o perfil @mprn_oficial e no YouTube com a página Ministério Público do RN.

Denuncie – Se souber ou for vítima de algum caso de violência sexual infantil, procure o Ministério Público, o Conselho Tutelar, delegacias, Polícias Militar, Federal ou Rodoviária ou ligue para o Disque Denúncia Nacional, de número 100. As informações também podem ser encaminhadas ao Disque Denúncia do Gaeco, órgão do MPRN, no número 127.